Mostra Nomes Antigos | Julio Lapagesse

Formado em Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília, Julio Lapagesse tem como principal pesquisa poética a colagem. Junta-se a isso, a nostalgia, a saudade e a memória infantil. A utilização de objetos afetivos, como velhas enciclopédias, em suas colagens, é uma marca na sua produção. O artista acaba por se tornar um arqueólogo de imagens antigas.

Todas as obras foram expostas na Galeria f/508 entre os dias 13 de abril e 13 de junho de 2016.

As reproduções das colagens estão disponíveis para serem adquiridas no Espaço f/508 de fotografia, impressas em papel museológico (Canson Edition Etching Rag 310) e assinadas pelo artista, sem tiragem.

Valores:

série carne/deus (tamanho 15 x 21cm): R$100,00
série pequenos deuses (tamanho 10 x 15cm): R$80,00

Para encomendar a sua reprodução, entre em contato através do email galeria@f508.com.br

“As colagens de Julio Lapagesse apresentadas na mostra Nomes Antigos são feitas com enciclopédias. Fragmentos de livros antigos, somados e readaptados em novos signos. Estátuas, carne, pão. Em tempos de photoshop e impressoras caseiras baratas, fazer colagens que precisam de livros velhos e destroem a imagem que estava impressa no verso, contém uma afirmação. É uma ânsia por criar algo de verdade, e destruir algo de verdade. Essa verdade da colagem, que pega uma imagem do outro e a faz sua. O nome do outro também pode ser seu.

Os nomes mais antigos que se tem registro são os símbolos Jiahu, encontrados em artefatos criados aproximadamente 8.000 anos atrás, na China. Acredita-se que sejam as marcas das pessoas que faziam os objetos, com a finalidade de identificar a origem dos itens. Assinaturas. O seu nome é antigo? Quantos se chamaram assim, antes de você, quantos Lucas, Pedros, Gabrielas e Helenas nos precedem? Somos reflexo de nossas contrapartes anteriores, pais, mães, antepassados e homônimos. Julio Cesar é um nome antigo.”            Lucas Gehre