Galerias Ibero americanas | Cuba

Terra dos fotógrafos Alberto Korda e Abelardo Morell, Cuba é um dos poucos países no mundo que ainda resiste ao capitalismo e, por isso mesmo, desperta a atenção de turistas e curiosos de toda a parte. Quem anda pelas ruas da capital Havana, por exemplo, diz viver uma inesquecível experiência antropológica, mas há aqueles que também valorizam a cultura em ambientes fechados, como as galerias de arte. Nesse sentido, a Fototeca de Cuba é um bom representante desse segmento cultural da “Ilha de Fidel”. Um lugar que vale a pena ser visitado.

Trata-se de um centro especializado em fotografia que pertence ao Conselho Nacional de Artes Plásticas do Ministério da Cultura. Foi fundado pela fotógrafa e pesquisadora cubana María Eugenia Haya, conhecida como Marucha, em 1986. O espaço está localizado na Rua Mercaderes, nº 307, em Habana Vieja, e é dedicado à conservação, promoção e exposição da fotografia como arte.

A Fototeca possui duas galerias. No andar de cima, a maior e principal, chamada Marucha, que é reservada aos artistas consagrados, preferencialmente cubanos. No térreo, um ambiente menor, chamado Joaquín Blez, uma homenagem ao retratista cubano de quem a Instituição conserva grande parte de seu trabalho (de 1907 a 1961). Na Fototeca ainda estão guardados mais de 150 anos da história iconográfica cubana, com aproximadamente 35 mil fotos, 20,5 mil negativos, além de coleções de livros, documentos de Cuba e de outros países. O Centro também promove seminários, cursos e oficinas teóricas e práticas ministradas por personalidades locais.

O Espaço também concede bolsas de estudos para o desenvolvimento de projetos que visam a promoção e a criação de pesquisas fotográficas entre jovens. Anualmente, ocorre uma seleção de projetos e um prêmio, patrocinado pelo Conselho Nacional de Artes Plásticas, é entregue pela Fototeca, por meio da chancela de um júri especializado, formado por fotógrafos, pesquisadores e curadores reconhecidos. A premiação consiste em uma quantia em dinheiro aos vencedores, além do reconhecimento público de seus trabalhos.

Mês da fotografia

Ao final de cada ano, a Fototeca de Cuba promove o Noviembre Fotográfico. Durante todo esse mês, ocorrem exposições em várias galerias de arte da cidade onde novas linguagens, técnicas e suportes são apresentados ao público presente. O evento é realizado desde 2006 e foi idealizado para comemorar, na ocasião, os 20 anos de fundação da Fototeca. O Espaço f/508 de Fotografia participou em 2016 com o projeto “Panorama f/508” e, novamente convidado, participará da edição 2018 com uma mostra de fotozines com o tema café.

Trip f/508 Havana 2018 | de 03 a 11 de novembro

A Cuba dos combates de boxe, das rinhas de galo, do tabaco, dos carros antigos e de cores quentes, dos casarões monumentais, dos sorrisos de seus heróis de ficção. Esse carnaval de imagens e paletas será o grande norteador da Trip “As Cores de Cuba”.

Para os participantes da “Trip Havana 2018″, o f/508 proporá 03 workshops:

+ Fotografia documental, com Daniel Marenco
Com larga trajetória no fotojornalismo e na fotografia documental imaginária, Marenco notabiliza-se como um dos melhores fotógrafos da área na atualidade. Cobriu diversos eventos políticos, como as últimas três eleições no Brasil, as manifestações de 2013 e o processo de impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff. Documentou também tragédias como a de Mariana e o terremoto no Nepal. Teve fotos em publicações de grandes jornais, como O Globo e a Folha de S. Paulo. Em 2015 foi finalista do Esso, principal premiação do jornalismo brasileiro, com as fotos ‘Terremoto em Katmandu‘ e ‘Marcado a ferro e fogo‘. Foi indicado e selecionado com destaque em outras premiações nacionais e internacionais.

+ A explosão das cores, com Humberto Lemos
Fotógrafo há 30 anos, Humberto Lemos atuou no mercado de fotografia publicitária do Rio de Janeiro. Em Brasília, é coordenador do Espaço f/508 de Fotografia, professor de fotografia, curador de exposições fotográficas e publicações virtuais, além de desenvolver projetos de inclusão social como o Retratando com Alma (2005), oficina fotográfica realizada com deficientes visuais, e Libertas CAJE (2008), realizado com os internos da instituição. Foi professor da Secretaria de Cultura do Distrito Federal de 2005 a 2007.

+ Fotografia Mobile, com Raquel Pellicano
Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília (UnB), Raquel Pellicano é fotógrafa e artista visual, com produção autoral e experimentações em linguagem fotográfica. Comercialmente, é especializada em retratos, nu feminino e registros de viagens. Com 30 anos, ministra cursos e oficinas e está à frente do estúdio fotográfico do Espaço f/508. Assinou diversos editoriais de moda, com trabalhos publicados nas revistas Vogue Brasil, Trip, VIP e Playboy.

Cuba é um país rico em cultura e arte. Infelizmente, essa riqueza não é bem divulgada devido às dificuldades políticas do país em relação à internet. Se você pretende visitar Cuba nos próximos meses, vale a pena ir até Havana para conhecer a Fototeca e participar do festival.