Diálogos entre estéticas e suportes | 02/04

Trabalho de Monica Nassar

Início: 02 de abril

Segundas-feiras: das 19h às 21h

Total: 26 aulas
Duração: 26 semanas
Carga horária: 52 h/aula

O Curso “Diálogos entre estéticas e suportes” foi concebido como um mergulho nas possibilidades infindas de suportes imagéticos. Explorando as estéticas minimalista, surrealista, grotesca e a estética do banal como norte da produção, os alunos terão aulas, provocações, exercícios semanais e estarão em contato com diversas técnicas manuais e experimentais voltadas ao suporte para a construção da imagem.

As Estéticas

. Minimalismo: A palavra minimalismo se refere a uma série de movimentos artísticos, culturais e científicos que percorreram diversos momentos do século XX e preocuparam-se em fazer uso de poucos elementos fundamentais como base de expressão.

. Surrealismo: Mais do que um movimento estético, o surrealismo é uma maneira de enxergar o mundo, uma vanguarda artística que transcende a arte. Busca restaurar os poderes da imaginação, castrados pelos limites do utilitarismo da sociedade burguesa, e superar a contradição entre objetividade e subjetividade.

. Grotesco: O grotesco é uma categoria estética que tem por finalidade provocar medo, espanto, nojo e, na maioria das vezes, riso. “…é o fenômeno da desarmonia do gosto.” – SODRÉ e PAIVA (2002).

. Banal: Através de uma investigação dos elementos de uma estética popular e comumente identificada pelo termo kitsch, a estética do banal se situa num ponto privilegiado a partir do qual é possível estudar os múltiplos.

Programa do curso

MÓDULO 1 – Construção | Humberto Lemos (02 de abril – 30 de abril)
[05 encontros – 10h/aulas]

O módulo inicial instigará o aluno à produção embasada nas 04 estéticas estabelecidas. Acontecerão encontros semanais onde cada disciplina será discutida junto à análise dos trabalhos realizados.

MÓDULO 2 – Fotocolagem, Apropriação de imagem e Intervenção Urbana  | Beatriz Chaves (07 de maio – 28 de maio)
[04 encontros – 08h/aulas]

No segundo módulo, começaremos a estudar suportes! Passaremos pelo estudo de história, referências e técnicas da fotocolagem e da intervenção urbana, além dos pormenores relacionados à apropriação de imagem: quando me aproprio de uma imagem, ela passa a ser minha? O que é original nos dias de hoje? Por fim, cada aluno será sorteado a trabalhar com uma das 4 estéticas estudadas num trabalho final nos suporte de fotocolagem ou intervenção urbana.

MÓDULO 3 – Fotografia analógica, fotogramas, negativos construídos, sanduíches de transparências | Lucas Ramos  (04 de junho – 18 de junho)
[3 encontros – 06h/aulas]

O módulo oferecerá aos alunos a possibilidade de vivenciar o universo da fotografia analógica, desde a prática de fotogramas, construção de negativos, interferências, revelações seletivas e múltiplas exposições em ampliador. Em um tempo caracterizado pela necessidade de respostas imediatas, pela efemeridade das informações e dos registros advindos da fotografia digital, a vivência analógica se faz alternativa expressiva e manifestação explícita da identidade do artista.

MÓDULO 4 – Fotografia alternativa | Télio Pacheco (25 de junho – 09 de julho)
[ 03 encontros – 06h/aulas]

Experimentação de diversos processos históricos da fotografia em tecido, papel e vidro fazem parte do módulo 4. O processo de cianotipia (em papel, tecido e vidro), criará, a partir de suas diversas possibilidades de pigmentos e suportes, diferentes imagens lúdicas. Poucas coisas são tão mágicas e emocionantes quanto a experiência de se ver a formação de rastros visuais em uma superfície foto-sensível. O resultado se traduzirá em imagens com efeito único, proporcionando o aprendizado de novos desdobramentos estéticos. Será abordado o processo fotográfico, sua formação, suportes, apresentação e significado.

FÉRIAS – 16 de julho – 30 de julho

MÓDULO 5 – Zine, Fotolivro, Livro de artista | Elisa Freitas  (06 de agosto – 03 de setembro)

[05 encontros – 10h/aulas]

“Não seria a fotografia, em essência, uma arte literária, uma arte em que o fotógrafo não é propriamente um manipulador de formas no interior da moldura fotográfica, mas antes um narrador que se vale de imagens em vez de palavras, alguém que conta uma história?”

O módulo tem como objetivo explorar a construção e produção de impressos no contexto dos fotozines, fotolivros e livro de artistas.  Será garantido aos participantes do curso a produção de diversos modelos e tipos de fotozines.

MÓDULO 6  – Tridimensional | Monica Nassar  (10 de setembro – 01 de outubro)
[04 encontros – 8h/aulas]

Em tempos digitais e de tecnologias numéricas, a forma com que nós, produtores e expectadores de arte, nos relacionamos com as obras é indistinta. Nesse módulo abordaremos os tipos de relações existentes entre artistas e obras, expectadores e obras, além de abordarmos os conceitos de arte real e virtual. O desenlace desta etapa de 4 encontros será a desvirtualização da fotografia a partir da produção de um objeto artístico, manuseável, e tridimensional.

* No início dos módulos 2, 3, 4, 5 e 6, será feito um sorteio entre os alunos com as 4 estéticas estudadas no primeiro módulo. Ou seja, cada um trabalhará com uma estética diferente em cada suporte.

Apresentação de Projetos | 08 de outubro 

Professores

Humberto Lemos

Fotógrafo há 35 anos, Humberto Lemos atuou no mercado de fotografia publicitária do Rio de Janeiro, atendendo a grandes clientes como White Martins, Shell, Coca-Cola, Souza Cruz, Bradesco Seguros e junto às maiores gravadoras do Rio. Foi fotógrafo exclusivo do Free Jazz Festival para a Souza Cruz (Rio e São Paulo). Em Brasília, é coordenador do Espaço f/508 de Fotografia, professor de fotografia, curador de exposições fotográficas e publicações virtuais, além de desenvolver projetos de inclusão social como o Retratando com Alma (2005), oficina fotográfica realizada com deficientes visuais, e Libertas CAJE (2008), realizado com os internos da instituição. Foi professor da Secretaria de Cultura do Distrito Federal de 2005 a 2007.

Télio Luiz Pacheco

Télio Pacheco desenvolve pesquisas sobre processos fotográficos históricos, adotando uma mistura de técnicas tradicionais e contemporâneas na criação da imagem. Como especialista em gerenciamento de projetos, adota metodologia específica na elaboração e condução dos trabalhos fotográficos que utilizam as técnicas Pinhole, Cianotipia e Goma Bicromatada.  O professor tem em seu currículo exposições individuais e coletivas em Brasília.

Monica Nassar

Graduada em Arquitetura e Urbanismo, pelo Centro Universitário de Brasília – UniCEUB, em 2012. Cursou fotografia profissionalizante no Espaço f/508 em Brasília (2013) e sua experiência com fotografia a levou a trabalhar como pesquisadora audiovisual para diversas produtoras de São Paulo. Em 2015, participou da Quadrienal de Cenografia de Praga, com o projeto VIRoRIO, em coautoria com alunos do curso de Cenografia Contemporânea da Escola São Paulo. Atualmente, cursou Pós Graduação em Cenografia e Figurino na Universidade Belas Artes – SP e atua como Cenógrafa e Diretora de Arte.

Beatriz Chaves

Formada em comunicação social pela Universidade de Brasília, é uma entusiasta do universo criativo. Já trabalhou como produtora em centros culturais e eventos da cidade, foi Diretora de Whatever na Perestroika – uma escola livre de atividades criativas – e hoje é gerente do Espaço f/508. Vem se reconhecendo artista visual com uma produção focada em apropriação, colagem e intervenção urbana. Participou de três exposições coletivas e uma residência artística. 

Lucas Ramos

Formado em História, Lucas Ramos voltou suas pesquisas nas áreas de fotografia documental, história da fotografia brasileira e filosofia da imagem. Como fotógrafo utiliza em seus trabalhos suportes manuais, como fotolivros, transparências e dobraduras. Pelo ano de 2012, foi voluntário no laboratório de fotografia analógica da FAC, UnB, e desde então continua estudando e trabalhando como laboratorista. Chegou a criar seu próprio laboratório caseiro com um coletivo de artistas da cidade, para, além de continuar com a revelação de negativos, estudar técnicas históricas de reprodução de imagem.

Elisa Freitas

Nascida em Brasília, Elisa Freitas é formada em Ciências Sociais pela UnB. Em 2011, fundou, em parceria com Andrei Dignart, a Editora Criatura, que já conta com 20 fotozines publicados e participação em diversas feiras de publicações independentes pelo país, como a Feira Plana (SP), a Feira Pão de Forma (RJ) e a Feira Dente (DF). Elisa já foi monitora na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e participou das exposições “Em Curso” (Parque Lage, 2014) e “Zines – Cópias e Impressões” (Rio de Janeiro, 2015). Em parceria com a escola de fotografia Ateliê da Imagem, produziu a primeira edição da Feira de Fotolivros Independentes Urca, em 2015.

*Turmas de no máximo 08 alunos

Investimento
10x R$454,25

Formas de pagamento
.À vista: dinheiro, cheque, transferência bancária [5% de desconto]
.Cartão de débito [3% de desconto]
.Cartão de crédito: valor integral em até 10x

Endereço
Espaço f/508 de Fotografia
SCLN 413 Bl D sala 113 – Asa Norte | Brasília/DF

Contatos
Tels.: 61. 3347 3985 | 61. 9140 0303
e-mail: cursos@f508.com.br

Horário de funcionamento
segunda a sexta,  das 14h às 21h.
sábado, das 10h às 13h.